Como Fazer Sutiã de Sereia - Tutorial Top Mermaid - #Mermaid #RaveBra

Hi Guys, Let's Make a Mermaid Top or Rave bra? Oie, H-Sama aqui! Vamos aprender como Fazer um top de Sereia?

Friday, April 20, 2012

Entrevista com Mirella Sereia

Sereias você só encontra por acaso. Não adianta procurar, elas vem até você.
Assim, por acaso encontrei Mirella, a Sereia, ou deveria dizer que ela me encontrou.

Mirella me procurou via internet uma vez e  a amizade logo se formou com essa pessoa maravilhosa e interessantíssima que ela é. Clique em "mais informações" para abrir a postagem.



H-SAMA ENTREVISTA MIRELLA SEREIA

Vamos fundo neste assunto!

H-SAMA: Porque você é uma sereia hoje? 

Mirella Sereia: Bem, na verdade não é de hoje, é de sempre! rs . Eu nasci sereia. Sem brincadeira, minha vida inteira girou em torno disso. Minha mãe diz que minha primeira palavra foi “sereia”. É algo que não tem como explicar, apenas sentir.
Quando eu tinha cerca de 9 anos já escrevia vários poemas contando desse meu fascínio e xingando o mundo, angustiada pelo motivo de não ter nascido com uma cauda...rs. E esse amor veio antes de qualquer filme que eu possa ter assistido, ou qualquer desenho ou história que possam ter me apresentado. É algo sobrenatural mesmo que, se existirem realmente vidas passadas, com certeza isso vem de longe.


H: Qual é sua idade de sereia? Há quanto tempo você tem cauda? 

M: Minha idade de sereia é a minha própria idade, acabei de completar 29 anos. Cauda eu tenho desde os 5 anos, quando eu pegava meia-calça da minha mãe, colocava minhas duas pernas numa perna da meia-calça e com a outra eu amarrava em minha cintura. Ainda colava lantejoulas para fingir serem escamas e ia nadar na minha piscina assim, com as pernas grudadas e me sentindo uma verdadeira sereia. Essa foi minha primeira “cauda”, ainda que estilizada.
Depois, aos 8 anos minha mãe fez fantasia de sereia para eu pular o carnaval. Até cheguei a ganhar prêmio com ela e também a utilizei para nadar diversas vezes até ela estragar inteirinha.
Mas uma verdadeira cauda mesmo eu fui ter somente aos 27 anos, quando gastei, lutei e me encarnei para realizar este grande sonho. Com essa cauda eu mergulho, realizo acrobacias, me divirto a beça. Enfim, agora sim me sinto completa! 


H: Qual é o seu lugar preferido?
M:  Meu lugar preferido é sempre o mar...rs. Não importa qual. Mas dentre eles o meu predileto é Fernando de Noronha, sem dúvida alguma. Morei nesse maravilhoso Arquipélago, nesse paraíso na terra, durante 4 meses no final de 2005, quando fui trabalhar com pesquisa e conservação no Projeto Golfinho Rotador. Sou apaixonada também pela Bahia, aliás, o nordeste todo é um sonho.

H: Em que ocasião você já se sentiu um peixe fora d'água?
M: Nossa, em milhares de ocasiões! Hahahahaha. Principalmente quando vou pra praia e vejo às pessoas em seus guarda-sóis, o dia inteiro, comendo e bebendo na praia sem nem ao menos se levantar para se molhar um pouco no mar e só eu lá, a louquinha do oceano que chega de manhã e fica até a noite na água e não quer saber de sair, não sei importa em comer nada, não se importa se terá insolação... hahahaha. Esse é um dos momentos em que me sinto um peixe fora d’água mesmo estando, na água! Hahahaha
Outros em que me sinto assim é quando vou com a minha linda cauda nas cachoeiras aqui da região (que tem umas lindíssimas) e aparece uma galera lá e fica me olhando como se eu fosse uma doida varrida fugida do hospício... hahaha. Mas nem me importo com isso.

H: Falando em fora d'água, sereias podem viver um pouco em terra firme. Aonde você mora quando não está no mar?
M:  Já morei em diversos lugares desse Brasil. Um lugar mais bonito que o outro. Como já disse, morei em algumas das praias mais lindas porque trabalhei com cetáceos (baleias e golfinhos), sou formada em Gestão Ambiental.
Mas ultimamente moro na cidade onde passei toda a minha infância, que é Pirassununga, interior do estado de São Paulo.
H: Você encontra algum problema em ser uma sereia?
M: Meu único problema, atualmente, acredito que é não morar numa cidade praiana. Isso realmente me consome e fico doente de verdade se passo muito tempo sem ir para o mar. Fico mau-humorada, chata, chorona, só meu marido pra agüentar mesmo...rs.
Outra coisa que eu não diria ser um problema mas uma dificuldade é quanto a achar coisas sobre sereias aqui no nosso país. Eu não entendo porque o Brasil não dá a devida importância para as sereias, seres tão fantásticos e que fazem parte do folclore brasileiro. Então sempre quando acho algum objeto maravilhoso na internet sobre sereias, alguma representação, algum móvel, alguma roupa ou tecido, etc, é sempre estrangeira. Nós sereias aqui do Brasil ficamos sempre “a ver navios”.

H: Você conhece outras sereias aonde você vive?
M:  Conheço sim! Conheço algumas pequenas sereias que sempre vêm com suas mamães conversar comigo, na minha loja. Elas são iguais a mim, nasceram com esse amor tão grande pelas sereias, que chega a sufocar, e tomara que elas não mudem quando envelhecerem. Mas infelizmente, sereias adultas só conheço estrangeiras. Mais uma vez criticarei o nosso amado país, ou melhor, os brasileiros, pois tenho a nítida impressão de que as pessoas têm vergonha de se expor, se assumir algo que goste. Têm medo das críticas, do que os outros irão pensar e das invejas alheias. Eu sempre digo que o brasileiro é bem chato nesse ponto, tem a cabeça muito fechada e quem só perde somos nós mesmo. Em outros países vemos cada um fazendo o que gosta, se vestindo como quer, cultuando o seu universo, é muito legal. No Japão o povo vai vestido de anime comprar pão na padaria...rs. Na Europa tem cidades onde todos os habitantes usam roupas do Senhor dos Anéis, promovem festas medievais e ninguém se intromete na vida dos outros. Nos EUA eles fazem encontros até dos Smufs... hahaha. Esses dias vi 5 mil pessoas vestidas de Smurfs, 5 mil fãs andando nas ruas e se divertindo. E nos EUA mesmo há uma infinidade de sereias adultas que realizam workshops sobre o universo das sereias, convenções, desfiles de moda mostrando suas caudas, batem fotos, fazem comerciais, é um barato. Bem legal mesmo. Mas nós, aqui no Brasil, ainda temos que evoluir muito nisso.


H: Como você cria os tops que usa?
M: Ai, meus tops são também os meus xodós. E sou eu mesmo que os faço. Como sou bailarina e professora de Dança do Ventre, e já há tempos eu mesmo bordo minhas roupas, então já tenho certa facilidade com isso. Mas não é nada difícil viu. Basta ter criatividade porque o bordado é fácil e gostoso de fazer.
Eu geralmente pego um sutiã inteiro ou tomara que caia, compro as pedrarias que eu quero (contas, cristais, lantejoulas, pérolas, ou minhas conchas, já que tenho uma técnica para furá-las) e mão à obra.


PARTE 2
O que todos os cosplayers querem saber!
Afinal, como você criou sua cauda de sereia?? 
M:  Bem, eu já estou na minha segunda cauda, e minha terceira cauda já está começada, dessa vez será vermelhona com algumas partes em laranja! rs
Para criar minha cauda eu tive que estudar um pouco porque comecei do zero, sem saber como faria, só tinha mesmo a incrível vontade. Eu acabei vendo alguns tutorais pelo youtube e fui acrescentando algumas coisas.
Primeiro eu comprei o tecido e a monofin que vai embaixo (essa monofin – que é uma nadadeira grudada - a gente encontra em sites como “mercadolivre” ou sites que vendem material de mergulho; creio que é possível achar em lojas também. Para as minhas duas primeiras caudas eu comprei a monofin rapid, da fins. E para essa terceira que eu estou começando, já comprei uma monofin bem mais profissional e difícil: a competitor da fins. Ela é super cara, gigante e feita de fibra de vidro, vai ficar uma cauda e tanto! Hehehe.
Mas para quem está começando, optem pela rapid para vocês conseguirem nadar direito e o investimento não é tão caro. 
Bem, daí fiz o seguinte. Dobrei o tecido, coloquei a monofin nos pés e deitei sobre o tecido; então peguei um giz de costura e minha mãe foi contornando meu corpo para tirar a medida. Cortei toda a medida, passei uma costura reforçada dos lados e deixei a parte de baixo aberta. Só então introduzi a monofin lá dentro e costurei a parte de baixo na mão mesmo por cauda das voltas que a barbatana faz.
Depois fui acrescentando mais algumas coisas. Na minha primeira cauda eu mesma pintei a parte da barbatana com tinta de tecido e bordei umas conchinhas nela. A segunda foi mais profissional pois contratei um pintor para fazer as escamas e ainda acrescentei barbatanas dos lados e no final da cauda (aqui eu comprei uma cortina de plástico e cortei em franjas, deu a maior trabalheira).

Como escolheu as cores?
M: Vai pelo gosto mesmo. Sempre quis ter uma cauda verde, uma azul e uma vermelha (que é essa minha próxima).
De que material é?
M: Ela é de neoprene, um tecido emborrachado próprio para mergulho. Deu uma trabalhei enorme também para achar esse tecido aqui no Brasil, quase fiquei louca, e é uma história engraçada que outro dia eu conto... hahaha, mas tudo certo. Uma cauda que eu havia feito experimental eu tinha usado uma lycra bem mais resistente e deu super certo. Então a dica para quem não achar neoprene, optar pela lycra, porque o bom é pegar um tecido bem elástico e resistente ao mesmo tempo.


Tem dicas de como fazer isso em casa? Enfim qualquer coisa...
M: Bom, estou cheia de dicas, não só na parte de confecção e algumas já passei para vocês. Precisando de mais dicas é só gritar pessoal! Hehehe

Vou deixar aqui meu blog (ainda está no comecinho), mas está bem legal, quem gostar compartilhe:www.eusouumasereia.blogspot.com.br

Adorei a entrevista e o carinho imenso da H-sama.
 Muito obrigada minha querida! Um querido beijo à todas vocês sereias, ou simpatizantes, e bons mergulhos!



Ela tem até uma linda história em Quadrinhos! Do Blog dela: Eu sou uma sereia



post top 05 do blog

5 comments:

  1. Uma coisa que ela apontou que achei muito interessante... O fato de as pessoas aqui não assumirem os estilos "peculiares" que gostam e as outras pessoas a condenarem por gostar disso... É um exemplo claro com cosplayers que ate a mídia os taxam de "loucos desocupados"... E como a mídia infelizmente faz um pouco a cabeça dos brasileiros... Só torça para não virar modinha... Senão estraga :/

    http://jiyakechan.blogspot.com/

    ReplyDelete
    Replies
    1. pois eh!!
      E é surpreendente que num país, praticamente, praiano e com praias belíssimas, não tenham várias sereias.

      Delete
  2. Virei fã dela *-*
    Pergunta pra ela se ela quer meu nome emprestado (pq de sereia só tá faltando o nome, pq ela já tem tudo! XD)

    ReplyDelete
  3. *-* Que fofo este quadrinho!!!

    ReplyDelete
  4. Gente, que coisa mais linda! Muito fofa ela falando de sereias *-*
    Esses posts sobre sereias estão começando a fazer eu perder um pouco do meu medo de mar (nascida e criada em montanha e clima frio hahaha).
    Tem muita coisa bonita no mar ♥

    ReplyDelete

H-SAMA.com: STYLE and HOBBIES!
O blog se alimenta de comentários, se você não comenta, o blog fica com fome e pode até morrer! Não deixe o H-Sama blog morrer! COMENTE!

TODOS os comentários serão lidos, respondidos com carinho.
Dentro de alguns minutos seu comentário estará no ar (volte pra ver!)

+++

All comments are read and will be on air. Come back to see it.
The blog is fed with comments. If you don't feed it, it can die. Don't let this blog die. Comment.